Lista dos piores cursos de Medicina no Brasil, segundo o MEC.

O MEC divulgou uma lista de cursos de Medicina que estão sob a supervisão deste ministério. Veja a relação:

Metropolitana de Santos - Santos (SP)
Medicina do Planalto Central - Brasília (DF)
Centro Universitário Serra dos Órgãos - Teresópolis (RJ)
Univ. de Uberaba - Uberaba (MG)
Federal de Alagoas - Maceió (AL)
Severino Sombra - Vassouras (RJ)
Federal do Pará - Belém (PA)
Federal da Bahia - Salvador (BA)
Superior de Valença - Valença (RJ)
Centro Universitário de Volta Redonda - Volta Redonda (RJ)
Luterana do Brasil - Caonas (RS)
Universidade de Ribeirão Preto - Ribeirão Preto (SP)
Federal do Amazonas - Manaus (AM)
Nilton Lins - Manaus (AM)
Universidade Iguaçu - Itaperuna (RJ)
Univ. de Marília - Marília (SP)
Universidade Iguaçu - Nova Iguaçu (RJ)

O interessante desta lista é que mostra o ensino superior degradado em todo o país, do norte ao sul, gerando um profissional de má qualidade técnica que num futuro próximo estará sentado à cadeira do réu no judiciário.

Espero, sinceramente, que estas instituições consigam resolver este problema da má qualidade do curso e que, a partir de agora, dêem o merecido respeito a este curso.

Quem quiser ler na integra acesse o site do MEC.
>



13 comentários:

Anônimo disse...

Estudo em uma das instituições acima (Nilton Lins) , e infelizmente não creio que o caso dessa má posição fora um boicote como dito no vídeo do site do MEC. Creio que o problema esteja na má coordenação do curso. Sofremos a todo momento uma certa pressão ditatorial na qual não temos poder de voz, e nem de ação. Um bom exemplo para retratar o que disse aconteceu quando houve a reunião para decidir o Diretório Acadêmico e a resposta da coordenadora foi de repúgio, ao invés de receber a notícia de uma forma positiva, pois não só ela mas nós alunos também queremos o melhor para o nosso curso. E é claro que não podemos contar também com a boa-educação de nossa coordenadora, que tantas vezes recebeu alunos aos gritos e "ameaças".

Ricardo Polaro disse...

Infelizmente sei como é essa sensação de impotência diante dos "controladores" dos cursos. Mas não poemos desistir, você, principalmente, que trabalha com vida de seres humanos deve, sim, lutar por um ensino de qualidade, pois só assim teremos médicos competentes.

Abraço.

Thi Moraes disse...

a falta de qualidade de ensino médico nas universidades do país é um fato inquesttionável! digo isso como academico de medicina da UFAL, listada pelo MEC. Essa falta de qualidade começa pelo próprio método de avaliação adotado pelo MEC. A gente que é do meio sabe que o boicote existe e têm fundamento: de acordo com a posição nessa avaliação a faculdade pode ou não receber recursos da Educação, mas qual o grande problema? as que recebem ajuda não são aquelas que se saem mal, que ficam em ultimas colocações, a intenção qnto a essas é puni-las!!! enquanto as que se saem bem sao financiadas! que falta de senso não? a gente sabe que existem até faculdades que abrem "cursinhos" voltados a realização do ENADE para q seus alunos se saiam bem e a faculdade recebe finaciamentos! agora vejamos, esse critério de avaliação deve ser levado a sério? se o proprio sistema de avaliação é inadequado, imaginem o sistema de ensino! amigo Ricardo, gostei mt do seu blog , tb possuo um blog(http://sanidadeinsana.blogspot.com/) no qual abordo temas da saude entre outros, gostaria de propor parceria, vou add seu link la! aguardo sua visita! abraço!

Ricardo Polaro disse...

Sobre o boicote eu sei que existe e devemos lutar contra (na minha opnião). No país onde se paga para a família ter filho, virando, inclusive, uma indústria de votos, essa falta de senso com o ensino superior não me surpreende nada.
Acho sim que deve ter uma avaliação, mas porque o CFM não o faz como acontece com a OAB nos cursos de direito?
É uma questão a se pensar.
Sobre a parceria, é claro que aceito. É sempre bom encontrar pessoas disposta a discutir os mais diversos temas, pois só assim conseguiremos desenvolver algo de bom para o futuro. Um abraço.

Anônimo disse...

Esse é o caminho: divulgar anualmente os piores! Fazer as partes intervenientes agirem. Responsáveis/donos de escola acordarem para a necessidade de reformularem os cursos, contratar professores e profissionais de gabarigo; professores não qualificados correrem a ameaça de perder o emprego; e, alunos que estudem muito mais, fazendo jus ao suor de seus pais, para elevar o nome de sua escola. Tudo isso junto, visando a formação de uma geração de profissionais de qualidade e integrados com a comunidade.

Anônimo disse...

Estudei numa destas faculdades acima, a UFBA, e não acho que, pelo que vivenciei lá, deveria estar na lista das piores. Quando se diz que uma faculdade é pior ou melhor, se subentende que o aluno de lá sairá sabendo menos ou mais, respectivamente, da área em que estuda; no meu caso, medicina. Mas esta avaliação é complexa, pois as variáveis são muitas na análise destes rankings, o que distorce a realidade do mérito de qual ou qual irá ser pior ou melhor. Pela metodologia utilizada, é possível uma faculdade ser considerada muito boa e o aprendizado do aluno, na arte de exercer a medicina, nesta faculdade, ficar aquem do aprendizado de outro aluno numa faculdade dita pior. Nisto não estou levando em conta a personalidade de cada aluno (como dizem que cada aluno é que se faz); não, estou analisando apenas o mérito da faculdade em oferecer conhecimento. Portanto, fica uma dica: ao analisar qual é pior, qual é melhor, vá lá na faculdade, converse com os alunos, com os professores, dentro de uma enfermaria do hospital-escola, veja se há doentes com doenças variadas, se há variabilidade de patologias, se há preceptores no dia-a-dia passando suas experiências vividas para os alunos (medicina muito se aprende com o passar de experiência), se há exames sendo feitos, e não só apenas se há biblitecas assim ou assado, se a produção científica literária foi grande, se os alunos foram bem no provão (a maioria entrega logo, para ir embora, já que é obrigado apenas comparecer à prova, mas não o é respondê-la e nem se vincula a nota com alguma cobrança futura.
Um abraço.

Anônimo disse...

sinceramente? não tenham pressa de serem médicos e vão estudar em algum lugar melhor

MANOEL disse...

O RICARDO POLARO FALOU O QUE É CERTO E PRECISO . NÃO NECESSITO DIZER MAIS , APÓS AS PALAVRAS DELE . O BRASIL PRECISA DE QUALIDADE EM TUDO , DESDE AS SUA PROLE ATÉ A SUA UNIVERSIDADE . QUANTIDADE NÃO É QUALIDADE !!

VALEU RICARDO POLARO .

MANOEL PERES ESTEVES

CANANÉIA - SP

Anônimo disse...

Falo pelos estudantes da UFBA....
isso foi um boicote. uma forma de expressar o nosso descontentamento com a coordenação do curso, e não um atestado de qualidade efetiva da FAMEB (Faculdade de Medicina da Bahia).

Anônimo disse...

Ola ! quero falar da faculdade nilton lins...eu acho que ela é umas das piores faculdades do mundo...pois estudo la! eles sao ladroes,mal educados tratam a gente como cachorros de rua,vagabundos,quando agente vai fazer uma pergunta eles so faltam dar na gente principalmente a prof.carla,janaina..que sao as cordenadoras do curso de saude e da faculdade.e tem mais os prof.ficam chamando a gente pra ir p motel fazer sexo em troca de notas nas provas...la tudo é pago ate as notas p passar ...ja denuciei na globo e espero que alguem faca alguma coisa por nos alunos que sao somos tratamos como gente e sim como animais...eles humilham e agente de todas as formas..teve uma menina que morreu na sala de aula na hora da prova e a prof..era tao ruin que nao ajudou ela e ela morreu la na hora e eles abafaram o caso...a agua do corredor p gente beber e so lama...os laboratoris tem ate rato...alguem tem que ir la ver isso.agora eles estao doidos p o mec foi la e vai fechar a facul..pq os prof.sao obrigados a reprovar os alunos para pagar o 13 dos funcionarios...essa facul e a pior de todas...

Think! disse...

muito bom o blog me siga tb !
abrçs

Anônimo disse...

Acho que deve haver uma reformulação do Ensino Médico no Brasil, na qual a fiscalização seja feita em conjunto entre o MEC e o CFM (bem como os CRMs da federação). Eu estou no ultimo ano de uma faculdade nova de medicina, uma faculdade que apesar de não ter nome, desfruta de ótimas instalações e de um excelente Hospital escola, sendo bem conceituado pelo MEC, como umas das melhores estruturas do Estado de São Paulo, no entanto, cada vez mais me deparo com o oposto em escolas do mesmo estado que vivem praticamente do "NOME" adquirido, e ja não mais fazem jus a esse, porem, não sofrem as mesmas sanções e preconceitos por ja terem uma certa fama, oriundos do passado, já não mais presente! E o mesmo, em outras instituições publicas e privadas em todo o Brasil! O MEC tem que fechar! Independe do nome da instituição.. tem que haver um julgamento justo entre todas as escolas médico em prol de uma saude de qualidade! E não a baertura indiscriminada e a revalidação automatica de estrangeiros no país!!!

Anônimo disse...

Acho que deve haver uma reformulação do Ensino Médico no Brasil, na qual a fiscalização seja feita em conjunto entre o MEC e o CFM (bem como os CRMs da federação). Eu estou no ultimo ano de uma faculdade nova de medicina, uma faculdade que apesar de não ter nome, desfruta de ótimas instalações e de um excelente Hospital escola, sendo bem conceituado pelo MEC, como umas das melhores estruturas do Estado de São Paulo, no entanto, cada vez mais me deparo com o oposto em escolas do mesmo estado que vivem praticamente do "NOME" adquirido, e ja não mais fazem jus a esse, porem, não sofrem as mesmas sanções e preconceitos por ja terem uma certa fama, oriundos do passado, já não mais presente! E o mesmo, em outras instituições publicas e privadas em todo o Brasil! O MEC tem que fechar! Independe do nome da instituição.. tem que haver um julgamento justo entre todas as escolas médico em prol de uma saude de qualidade! E não a baertura indiscriminada e a revalidação automatica de estrangeiros no país!!!

Não encontrou o que queria?

Google
 

Marcadores

erro médico Direito Médico médico Código de Ética Médica ato médico negligência código de defesa do consumidor jurisprudência princípio da informação dano moral hospital CFM Constituição Federal Código Civil MEC STF ação de indenização curso de medicina direito do paciente medicina relação médico paciente responsabilidade objetiva CRM STJ acesso à saúde ato culposo direito do médico imperícia imprudência informação continuada mal resultado prestação de serviço responsabilidade civil CEM Conselho Federal de Medicina Isonomia SUS Teoria da Perda de uma Chance de Cura artigos ato ilícito consulta médica direito do consumidor erro estrutural escolas médicas histórico do paciente indenização justiça medicina defensiva má qualidade de ensino paciente prescrição responsabilidade subjetiva saúde sobreaviso Assédio Moral Conselho Federal de Medicina. médico Cumulação de indenização Genival Veloso de França Novo Código de Ética Médica Vulnerabilidade agravo regimental art. 1º art. 3º CDC avaliação ação de regresso boa-fé consumidor crime culpa concorrente culpável dano direto e imediato dano estético direito civil direito à intimidade direito à privacidade direitos de personalidades doloso especialidade exame exames desnecessários explosão de litigiosidade história clínica infecção hospitalar infraestrutura intituições de ensino julgado medicina moderna médico de sobreaviso nexo causal nova postura do médico obrigação de meio pl 7703/2006 princípio da boa-fé princípio da transparência profissional liberal qualificação profissional recusa em atender regulamentação profissional responsabilidade do estado socialização do risco médico supremacia do interesse público súmula 279